TMIB completa 10 anos sob operação da VLI com crescimento expressivo nas movimentações


Redação TranspoData


Foto Divulgação


Localizado em Barra dos Coqueiros (SE), o Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB) celebra, em 2024, uma década sob a gestão da VLI. Durante esse período, registrou crescimento expressivo nas movimentações de commodities e produtos industrializados. De 2018 a 2023, em particular, houve incremento de 108% no volume de cargas embarcadas, que superou 1,2 milhão de toneladas no último ano.

 

A marca reflete o crescimento da importância estratégica do terminal para o escoamento da produção de grãos, como soja, milho e farelo de soja, insumos da construção civil, fertilizantes e mineração no Arco Norte. O TMIB também promove apoio à Petrobrás para operações offshore, dando suporte às embarcações de supply e logística remota para as plataformas de petróleo próximas à costa sergipana.

 

O TMIB ainda contribui para inserir o agronegócio da região em um fluxo econômico mais amplo. Isto porque caminhões que transitam por este corredor transportam produtos do interior para a exportação no porto para, em seguida, retornar carregados com o volume da importação dos fertilizantes vindos em grande parte da Europa. São insumos vitais para as produções não apenas de Sergipe, mas do oeste da Bahia, considerado um forte polo de agronegócio.

 

Osmar Selhorst, gerente de operações, define o TMIB como vocacionado para a carga geral e que se consolidou como uma alternativa eficiente para que as riquezas produzidas na Região Nordeste ganhem o mercado global, em um fluxo de negócios mais amplo e com maior competitividade logística. “Em parceria com todo o ecossistema que envolve o dia a dia de uma operação portuária, como governo do Estado, produtores, clientes, entidades de classe e outros órgãos, temos trabalhado para aumentar a representatividade no cenário nacional, atender todas as matrizes de carga do terminal e prestar um serviço cada vez mais abrangente, contribuindo, desta forma, com a economia de toda a região”, afirma.
 

O TMIB possui dois píeres de atracação: um de 356 metros destinado a granéis e outro, de 59 metros, para operações offshore. Possui, ainda, sete armazéns com capacidade estática para 55 mil toneladas, três pátios para 150 mil toneladas e três silos capazes de estocar até 60 mil toneladas.
 

Avanço em investimentos
 

O terminal teve, nos últimos três anos, aumento significativo em seu nível de investimentos para projetos de remodelação e recapacitação da unidade, chegando a R$ 30 milhões ao ano. Ao longo dos 10 anos da presença da VLI como administradora e operadora portuária no TMIB, houve evolução da operação de recebimento de grãos, graças à construção de um tombador que, hoje, viabiliza o aceite para mais de 800 mil toneladas por ano. Há cinco anos, por meio do TMIB, a VLI também estabeleceu um fluxo de cabotagem de cimento para abastecimento da Região Norte, já tendo superado o total de 1,4 milhão de toneladas embarcadas no período.
 

Na mineração, há sete anos, o site conduz uma operação de concentrado de cobre, que saiu de 10 mil toneladas por ano em 2017 e já ultrapassa atualmente mais de 140 mil toneladas. Números que foram possíveis pelos investimentos recentes: novos grabs, com maior capacidade de descarga de fertilizantes; remodelação e troca de todos os transportadores da linha de embarque nos últimos dois anos; e obras de pavimentação e civis, sustentando o plano de crescimento da unidade