Volume teve acréscimo de quase 9% na comparação com o ano de 2021

 

Roberto Hunoff


Divulgação

 

A Freto, logtech que conecta caminhoneiros às cargas do mercado rodoviário, registrou crescimento de 35% no valor das contratações de cargas do agronegócio em 2022 em comparação com o ano anterior. Também houve aumento de 8% de toneladas movimentadas na plataforma. O resultado é atribuído ao maior número de clientes e ao efeito do preço de frete, que aumentou no ano passado. “Em 2022, graças à extensão da safra do milho até outubro, observamos um grande salto dessa commodity, que liderou os carregamentos na plataforma, representando 60% do valor das contratações”, revela Thomas Gautier, CEO do Freto. A soja ficou na segunda posição com 25% e o farelo de soja, em terceiro, com 12,5%. De acordo com o executivo, o ticket médio evoluiu 28%.

 

A empresa saltou das 23,3 milhões de toneladas movimentadas, em 2021, para quase 25,4 milhões de toneladas. Em 2021, a soja em grãos liderou os carregamentos, com 41% (575.988 toneladas), seguida pelo farelo de soja, com 26,5% (370.458 toneladas) e milho em grãos, com 19,5% (269.892 toneladas). 

 

Desde a fundação, em 2018, até junho de 2022, a empresa movimentou mais de 83 milhões de toneladas na plataforma, correspondendo a mais de R$ 10 bilhões em fretes. Essas cargas são informadas por grandes produtores de grãos, açúcar, siderúrgicas, fabricantes de papel e celulose e cimenteiras para mais de 170 mil motoristas ativos.